Biblioteca Municipal

O assunto da criação de uma Biblioteca Municipal em Arraiolos foi abordado em reunião de Câmara no dia 1 de abril de 1969.

O edifício que foi escolhido para implantar a Biblioteca situa-se no Largo 25 de Abril.

Graças ao envolvimento da Fundação Calouste Gulbenkian, através do Serviço de Bibliotecas, esta realidade tomou forma.

O Município de Arraiolos disponibilizou o edifício e um funcionário, o Sr. Alberto Branco. A Fundação Calouste Gulbenkian forneceu os livros, o respetivo material de expediente e o mobiliário. E assim a Biblioteca foi inaugurada a 5 de setembro de 1970, abrindo as suas portas com um funcionário apenas e um espólio documental de cerca de 3 500 volumes, reunidos numa única sala.

O facto é que a abertura de uma Biblioteca Municipal em Arraiolos foi um grande acontecimento pois a partir desse momento, ficou ao dispor de todos o acesso gratuito à cultura, através dos livros e da leitura. O que, saliente-se, num concelho do interior alentejano, numa época de dificuldades económicas e sociais, é realmente algo de muito valor.

Com o decorrer do tempo e o aumento do acervo bibliográfico, a evolução e o crescimento deste serviço público levaram à ocupação de outras salas no mesmo edifício. No entanto, foi-se materializando a necessidade de um novo espaço físico que albergasse um fundo de cerca de 20 000 volumes e que, ao mesmo tempo, desse resposta à criação de novas valências.

Em resposta a esta necessidade, foram inauguradas as novas instalações da Biblioteca Municipal de Arraiolos, em 23 de dezembro de 2001. O edifício escolhido e adaptado foi a antiga Casa do Capitão-Mor e da Mala-Posta, cuja fundação data do Século XVIII.

       Este edifício, que ao longo da sua história sempre esteve vocacionado para uma utilização pública, foi sede dos Bombeiros Voluntários de Arraiolos, bem como da Casa do Povo de Arraiolos. Acolheu também os Serviços do Centro Regional de Segurança Social. Esteve ainda a funcionar nestas instalações uma sala de apoio a idosos que funcionava como sala de convívio.

       As atuais instalações permitiram uma requalificação dos serviços já disponibilizados no antigo edifício e possibilitaram a criação de novas valências, atribuídas às bibliotecas através do Manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas. São disso exemplo as novas tecnologias da informação e da comunicação.

Horário de funcionamento (inverno/verão):

10h00 – 13h00

14h00 – 18h00

segunda a sexta